A participação de mulheres como técnicas em equipes de futsal no Paraná

Autores

DOI:

https://doi.org/10.55892/jrg.v7i14.901

Palavras-chave:

Futsal, Treinadora esportiva, Técnica esportiva, Mulher

Resumo

O objetivo do presente estudo foi elucidar em que termos acontece a inclusão de mulheres como treinadoras de equipes profissionais de futsal no Paraná. Para tanto, foram entrevistadas as cinco mulheres registradas como treinadoras na chave ouro do campeonato paranaense, com 38 ± 8 anos de idade, com 18 ± 6 anos de profissão, tendo suas respostas organizadas de acordo com a teoria da análise de conteúdo de Bardin (1977). No que diz respeito à inserção no esporte, nota-se que se dá através dos círculos sociais compostos de família e amigos primeiramente como expectadoras, passando para atletas e posteriormente para treinadoras. Esta última posição se dá primeiramente através da formação acadêmica, onde já acontecem as primeiras experiências com a gestão esportiva, não necessariamente na modalidade, mas, que as mesmas utilizam de iniciação para a prática laboral, transferindo essa seara de conhecimentos e vivências para a gestão em seus clubes e participação em competições, absorvendo os demais personagens (gestores, atletas, torcida, árbitros e adversários) neste ínterim, onde as mesmas relatam ainda haver muito preconceito, ainda que velado, mas, que transpor essa barreira é apenas mais uma motivação para trabalhar. Em suma, é possível concluir que o espaço da mulher no futsal vem sendo galgado em diversas frentes, e para que haja ampliação no número de treinadoras, é necessário expandir o acesso e consequentemente, a quantidade de praticantes na modalidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rafael Gemin Vidal, Ugv Centro Universitário, PR, Brasil

[Lattes]
Graduado em Educação Física pela Ugv Centro Universitário. Especialista em fisiologia do exercício pela Funip. Mestre em desenvolvimento e sociedade pela Uniarp.

Alessandra Fátima Cezne, Federal University of Paraná

[Lattes]
Graduada em Educação Física pela Ugv Centro Universitário. Mestranda em Educação Física pela UFPR.

Referências

ALMEIDA SILVA, Gustavo Henrique; RIBEIRO, Victor Barbosa. Futebol e futsal de mulheres: estigmas e avanços. Caderno de Educação Física e Esporte, v. 21, n. 1, p. 38, 2023.

BALARDIN, Georgia Fernandes et al. The female football in Brazil and United States of America: differences and similarities in the sport. Revista Brasileira de Futsal e Futebol, v. 10, n. 36, p. 101-110, 2018.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1977.

BORGES, C.N.F; LOPES, S.M; ALVES; C.A. Resiliência: Uma Possibilidade de Adesão e Permanência na Prática do Futebol Feminino. Movimento, v.12, n. 01, p. 105-131, 2016.

BOURDIEU, P. A dominação masculina. Rio de Janeiro. Bestbolso, 2017.

BRASIL. Constituição da república federativa do Brasil. Art. 7, inc. XXII 1988.

BROCH, Marina. Histórico do futebol feminino no Brasil: considerações acerca da desigualdade de gênero. Temporalidades, v. 13, n. 1, p. 695-705, 2021.

CARNIEL, Eduardo Krolow et al. Treinadores de futsal brasileiros de elite: aspectos influenciadores da escolha da profissão e da construção da competência profissional. Movimento, v. 29, p. e29036, 2023.

COACKEY, J. Sports in society: issues and controversies. 12th Ed. New York, McGraw-Hill, 2017.

CONNELL, R.; MESSERSCHMIDT, J. Masculinidade hegemônica: repensando o conceito. Revista de Estudos Feministas, v. 21, n. 1, p. 241-282, 2013.

FERREIRA, H. J. et al. Barriers faced by brazilian female coaches. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, v.31, n.2, p.479-488, 2017.

FERREIRA, H. J.; SALLES, J. G. C.; MOURÃO, L.; MORENO, A. A baixa representatividade de mulheres como técnicas esportivas no Brasil. Movimento, v.19, n.3, p.103-124, 2013.

GOELLNER, Silvana Vilodre; KESSLER, Cláudia Samuel. A sub-representação do futebol praticado por mulheres no Brasil: ressaltar o protagonismo para visibilizar a modalidade. Revista Usp, n. 117, p. 31-38, 2018.

HAAG, Fernanda Ribeiro. “O futebol pode não ter sido profissional comigo, mas eu fui com ele”: trabalho e relações sociais de sexo no futebol feminino brasileiro. Mosaico, v. 9, n. 14, p. 142-160, 2018.

LO, Caio Moreira de Matos. Futsal e gênero na educação física escolar: um estudo bibliográfico. 2020. Disponível em: http://131.0.244.66:8082/jspui/handle/123456789/1847 Acesso em: 16 fev. 2023.

MACHIDA, M.; FELTZ, D.L. Estudando o avanço na carreira das mulheres coaches: Os papéis de líder autoeficásução. International Journal of Coaching Science, v. 7, n. 2, p.53-71, 2013.

MANERA, D. M. S.; CARVALHO, M. M. Relatório anual da discriminação racial no futebol - 2017. Observatório da Discriminação Racial no Futebol. Porto Alegre: Museu da UFRGS, 2018.

MARQUES, R. F. R. O conceito de esporte como fenômeno globalizado: pluralidade e controvérsias. Revista Observatório del Esporte, v.1, p.147-185, 2015.

MASCARIN, R. B.; VICENTINI, L.; MARQUES, R. F. R. Brazilian women elite futsal players: career development: diversified experiences and late sport specialization. Motriz, v. 25, p. e101968, 2019.

MINAYO, M. C. de S. Trabalho de campo: contexto de observação, interação e descoberta. In. MINAYO, M. C. de S.; DESLANDES, S. F. GOMES, R. (Org). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 28ª. ed. Petrópolis: Vozes, 2009.

NOVAIS, M. C. B. et al. Treinadoras e auxiliares do futebol de mulheres no brasil: subversão e resistência na liderança esportiva. Movimento, v. 27, 2021.

SALVINI, L.; MARCHI JR., W. “Guerreiras de chuteiras” na luta pelo reconhecimento: relatos acerca do preconceito no futebol feminino brasileiro. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, v. 30, n. 2, p.303-311, 2016.

SILVA, Michel Francklin. Futebol feminino no Brasil face a um cenário esportivo dominado por homens. [Monografia] Universidade Federal do Maranhão, São Luis, 2021.

SILVA, Paula et al. Estratégias de resistência e empoderamento de treinadoras portuguesas. Journal of Physical Education, v. 31, 2020.

TEIXEIRA, F. L. S.; CAMINHA, I. O. Preconceito no futebol feminino brasileiro: uma revisão sistemática. Revista Movimento. v. 19, n. 1, p. 265-287, 2013.

Downloads

Publicado

2024-01-21

Como Citar

VIDAL, R. G.; CEZNE, A. F. A participação de mulheres como técnicas em equipes de futsal no Paraná. Revista JRG de Estudos Acadêmicos , Brasil, São Paulo, v. 7, n. 14, p. e14901, 2024. DOI: 10.55892/jrg.v7i14.901. Disponível em: http://www.revistajrg.com/index.php/jrg/article/view/901. Acesso em: 22 jun. 2024.

ARK