Reflexões acerca dos desafios enfrentados pela equipe multidisciplinar quanto à integralidade do cuidado na Atenção Primária à Saúde

Autores

DOI:

https://doi.org/10.55892/jrg.v7i14.973

Palavras-chave:

Integralidade em Saúde, Equipe Multiprofissional, Cuidado Centrado no Usuário, Atenção Primária à Saúde

Resumo

Este estudo propõe uma reflexão sobre os desafios enfrentados pela equipe multidisciplinar em relação à integralidade do cuidado na Atenção Primária à Saúde. Tratou-se de um estudo teórico-reflexivo, de natureza exploratória e abordagem qualitativa. Este foi dividido em duas partes principais. Na primeira parte, intitulada "Abrangência do cuidado na Atenção Primária à Saúde através da Integralidade", são discutidos os conceitos fundamentais relacionados à integralidade do cuidado na Atenção Primária à Saúde, destacando a importância de uma abordagem holística que considere os aspectos físicos, emocionais, sociais e culturais dos usuários. Na segunda parte, denominada "Promoção da integralidade pela equipe multidisciplinar na Atenção Primária à Saúde", são apresentadas reflexões sobre as ações e atitudes que podem ser adotadas pela equipe multidisciplinar para promover a integralidade do cuidado na prática cotidiana, destacando a importância da comunicação efetiva, da visita domiciliar, do acolhimento e da colaboração interdisciplinar. Ao abordar esses temas, o estudo buscou contribuir para o aprimoramento da assistência na Atenção Primária à Saúde, visando garantir uma abordagem integral e centrada no usuário.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Larayne Gallo Farias Oliveira, Universidade de São Paulo

[Lattes]
Graduada em Enfermagem. Doutoranda em Ciências pelo Programa Interunidades em Enfermagem pela Escola de Enfermagem da USP (EEUSP). Mestra em Enfermagem pela Universidade Estadual de Santa Cruz; Mestra em Ensino e Relações Étnico Raciais pela Universidade Federal do Sul da Bahia.

Lislaine Aparecida Fracolli, Universidade de São Paulo

[Lattes]
Graduada em Enfermagem e Obstetrícia. Doutorado em Enfermagem pela Escola de Enfermagem da USP. Professora Titular: Departamento de Enfermagem em Saúde Coletiva da Escola de Enfermagem da USP (EEUSP).

Alfredo Almeida Pina-Oliveira, Universidade de São Paulo

[Lattes]
Graduado em Enfermagem. Doutor em Ciências pelo Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo (EEUSP-SP). Professor Doutor no Departamento de Enfermagem em Saúde Coletiva (ENS) da EEUSP.

Anna Luiza de Fátima Pinho Lins Gryschek, Universidade de São Paulo

[Lattes]
Graduada em Enfermagem. Doutora em Enfermagem pela Universidade de São Paulo. Professora Associada do Departamento de Enfermagem em Saúde Coletiva da EEUSP.

Myria Ribeiro da Silva, Universidade Estadual de Santa Cruz

[Lattes]
Graduada em Enfermagem. Doutora em Ciências pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Professora Adjunta do Departamento de Ciências da Saúde na Universidade Estadual de Santa Cruz.

Daniela Silva Campos, UBS Brás-São Paulo, SP, Brasil

[Lattes]
Graduanda em Enfermagem.  Mestra em Enfermagem na Atenção Primária à Saúde no Sistema Único de Saúde pela Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo (MPAPS- EEUSP).

Denise Maria Campos de Lima Castro, Universidade de São Paulo

[Lattes]
Graduanda em Enfermagem. Mestra em Ciências da Saúde pelo Programa de Pós-graduação Mestrado Profissional em Enfermagem na Atenção Primária em Saúde no Sistema Único de Saúde (MPAPS- EEUSP).

Daniela Cristina Geraldo, Universidade de São Paulo (USP)

[Lattes]
Graduanda em Enfermagem. Mestranda pela Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo no programa Mestrado Profissional em Enfermagem na Atenção Primária à Saúde (MPAPS- EEUSP).

Laiza Gallo Farias, Centro universitário UNIDOMPEDRO, Bahia, Brasil

[Lattes]
Graduanda em Medicina pelo Centro universitário UNIDOMPEDRO. Fisioterapeuta especialista em Fisioterapia Hospitalar com ênfase em UTI.

Sarah Gomes Macedo, Universidade de São Paulo

[Lattes]
Graduanda em Enfermagem. Universidade de São Paulo, Escola de Enfermagem (EEUSP).

Referências

AYRES, J. R. de C. M. et al. Caminhos da integralidade: adolescentes e jovens na Atenção Primária à Saúde. Interface-Comunicação, Saúde, Educação, v. 16, p. 67-82, 2012.

BARBOSA, A. A; et al. A importância do cuidado holístico pela enfermagem. Brazilian Journal of Development, v. 9, n. 2, p. 8535-8539, 2023.

CAMARGO JÚNIOR, K. R. de. Um ensaio sobre a (in) definição de integralidade. In: Construção da integralidade: cotidiano, saberes e práticas em saúde. p. 35-43, 2003.

CAMPOS, C. E. A. A organização dos serviços de Atenção Primária à Saúde no Brasil. Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade, v. 2, n. 6, p. 131-147, 2006.

CONSTANTINO, I. C. M. et al. Integralidade do cuidado: visão da equipe multiprofissional na Estratégia Saúde da Família. Revista Foco (Interdisciplinary Studies Journal), v. 16, n. 7, 2023.

COSTA, A. M. Integralidade na atenção e no cuidado a saúde. Saúde e Sociedade, v. 13, p. 5-15, 2004.

COUTINHO, L. R. P.; BARBIERI, A. R.; SANTOS, M. L. de M. dos. Acolhimento na Atenção Primária à Saúde: revisão integrativa. Saúde em debate, v. 39, p. 514-524, 2015.

CRIVELARO, P. M. da S. et al. Dez competências para ensino-aprendizagem da consulta de enfermagem e integralidade do cuidado. Enferm Foco, v. 12, n. 1, p. 139-146, 2021.

FACCHINI, L. A.; TOMASI, E.; DILÉLIO, A. S. Qualidade da Atenção Primária à Saúde no Brasil: avanços, desafios e perspectivas. Saúde em debate, v. 42, p. 208-223, 2018.

FERREIRA, A. R. O. et al. Integralidade da assistência na visita domiciliar: relato de experiência. Revista Recien-Revista Científica de Enfermagem, v. 10, n. 32, p. 324-331, 2020.

GARCIA, I. F. da S.; TEIXEIRA, C. P. Visita domiciliar: um instrumento de intervenção. Sociedade em Debate, v. 15, n. 1, p. 165-178, 2009.

JACCOUD, L.; VIEIRA, F. S. Autonomia, integralidade e desafios de coordenação no SUS. Coordenação e relações intergovernamentais nas políticas sociais brasileiras [Internet]. Brasília: IPEA, p. 53-80, 2020.

JAFELICE, G. T.; ZILIOTTO, G.; MARCOLAN, J. F. Trabalho multiprofissional e integralidade do cuidado na percepção dos profissionais do caps. Psicologia em Estudo, v. 29, p. e54902, 2024.

KESSLER, M. et al. Longitudinalidade do cuidado na atenção primária: avaliação na perspectiva dos usuários. Acta paulista de enfermagem, v. 32, p. 186-193, 2019.

MACHADO, M. de F. A. S. et al. Integralidade, formação de saúde, educação em saúde e as propostas do SUS: uma revisão conceitual. Ciência & saúde coletiva, v. 12, p. 335-342, 2007.

MAKUCH, D. M. V.; ZAGONEL, I. P. S. A integralidade do cuidado no ensino na área da saúde: uma revisão sistemática. Revista Brasileira de Educação Médica, v. 41, p. 515-524, 2017.

MATTOS, R. A. de. Princípios do Sistema Único de Saúde (SUS) e a humanização das práticas de saúde. Interface-Comunicação, Saúde, Educação, v. 13, p. 771-780, 2009.

MATUDA, C. G. et al. Colaboração interprofissional na Estratégia Saúde da Família: implicações para a produção do cuidado e a gestão do trabalho. Ciência & Saúde Coletiva, v. 20, p. 2511-2521, 2015.

MENDES, E. V. O SUS que temos e o SUS que queremos: uma agenda. Revista Mineira de Saúde Pública, v. 4, n. 3, p. 4-24, 2004.

MEZAROBA, E. et al. Integralidade do cuidado: um relato de experiência. JMPHC| Journal of Management & Primary Health Care| ISSN 2179-6750, v. 13, p. e023-e023, 2021.

MINAYO, M. C. S. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. Editora: Hucitec - 14ª ed . -416 p., 2014.

MIRANDA, G. M. D.; MENDES, A. da C. G.; SILVA, A. L. A. da. O desafio da organização do Sistema Único de Saúde universal e resolutivo no pacto federativo brasileiro. Saúde e Sociedade, v. 26, p. 329-335, 2017.

MORAES, D. R. de. Revisitando as concepções de integralidade. Revista APS, v. 9, n. 1, p. 64-72, 2006.

NORMAN, A. H.; TESSER, C. D. Acesso ao cuidado na Estratégia Saúde da Família: equilíbrio entre demanda espontânea e prevenção/promoção da saúde. Saúde e Sociedade, v. 24, p. 165-179, 2015.

OLIVEIRA, L. G. F. et al. Longitudinalidade na atenção primária à saúde: explorando a continuidade do cuidado ao longo do tempo. Arquivos de Ciências da Saúde da UNIPAR, v. 27, n. 7, p. 3385-3395, 2023.

OLIVEIRA, L. G. F. et al. Percepções dos enfermeiros acerca da implantação do modelo acesso avançado na região do Campo Limpo-SP (APS 004). Anais do 8 Encontro de Atenção Primária da Região do Trairi; 6 Encontro Nacional de Atenção Primária à Saúde, n. 1, p. 237, 2023.

PETTA, H. L.; AYRES, J. R. de M; TEIXEIRA, R. R. Grande mídia e comunicação sobre saúde coletiva e atenção primária: o desafio da produção da série televisiva “Unidade Básica”. Interface-Comunicação, Saúde, Educação, v. 25, p. e200607, 2021.

PRADO, N. M. de B. L.; SANTOS, A. M. dos. Promoção da saúde na Atenção Primária à Saúde: sistematização de desafios e estratégias intersetoriais. Saúde em Debate, v. 42, p. 379-395, 2018.

RAMOS, F. R. S. et al. Integralidade em saúde: revisão de literatura. Ciência, cuidado e saúde, v. 9, n. 3, p. 585-592, 2010.

ROCHA, F. A. A.; BARRETO, I. C. de H. C.; MOREIRA, A. E. M. M. Colaboração interprofissional: estudo de caso entre gestores, docentes e profissionais de saúde da família. Interface-Comunicação, Saúde, Educação, v. 20, p. 415-426, 2016.

ROCHA, K. B. et al. A visita domiciliar no contexto da saúde: uma revisão de literatura. Psicologia, Saúde e Doenças, v. 18, n. 1, p. 170-185, 2017.

RODRIGUES, M. R.; SOUSA, M. F. de. Integralidade das práticas em saúde na atenção primária: análise comparada entre Brasil e Portugal por meio de revisão de escopo. Saúde em Debate, v. 47, p. 242-252, 2023.

ROSA, F. M. da et al. Integralidade do cuidado na oferta e utilização de serviços da Atenção Primária à Saúde. Revista de APS, v. 26, 2023.

SANTOS, T. R. dos et al. A integralidade e intersetorialidade da atenção primária à saúde na rede de atendimento a violência contra a mulher. Revista Contexto & Saúde, v. 24, n. 48, p. e14695-e14695, 2024.

SILVA, J. A. A. da; COSTA, E. A.; LUCCHESE, G. SUS 30 anos: vigilância sanitária. Ciência & Saúde Coletiva, v. 23, p. 1953-1961, 2018.

SILVA, K. L.; RODRIGUES, A. T. Ações intersetoriais para promoção da saúde na Estratégia Saúde da Família: experiências, desafios e possibilidades. Revista Brasileira de Enfermagem, v. 63, p. 762-769, 2010.

SILVA, L. W. S. da et al. Contexto do cuidado fisioterapêutico: reveses e vieses na inserção comunitária à atenção domiciliar. Revista Kairós-Gerontologia, v. 16, n. 2, p. 79-101, 2013.

SILVA, M. V. S. da; MIRANDA, G. B. N.; ANDRADE, M. A. de. Sentidos atribuídos à integralidade: entre o que é preconizado e vivido na equipe multidisciplinar. Interface-Comunicação, Saúde, Educação, v. 21, p. 589-599, 2017.

SILVA, S. L. da et al. Avaliação do atributo da integralidade na atenção primária à saúde da criança. Revista Eletrônica Acervo Saúde, v. 23, n. 8, p. e13495-e13495, 2023.

SOARES, D. dos A. M.; MARTINS, A. M. Intersetorialidade e interdisciplinaridade na atenção primária: conceito e sua aplicabilidade no cuidado em saúde mental. Revista Baiana de Saúde Pública, v. 41, n. 2, 2017.

STARFIELD, B. Atenção primária: equilíbrio entre a necessidade de saúde, serviços e tecnologias. Brasília: UNESCO; Ministério da Saúde, 2002.

STARFIELD, B.; SHI, L.; MACINKO, J; Contribution of primary care to health systems and health. The milbank quarterly, v. 83, n. 3, p. 457-502, 2005.

Downloads

Publicado

2024-03-20

Como Citar

OLIVEIRA, L. G. F.; FRACOLLI, L. A.; PINA-OLIVEIRA, A. A.; GRYSCHEK, A. L. de F. P. L.; SILVA, M. R. da; CAMPOS, D. S.; CASTRO, D. M. C. de L.; GERALDO, D. C.; FARIAS, L. G.; MACEDO, S. G. Reflexões acerca dos desafios enfrentados pela equipe multidisciplinar quanto à integralidade do cuidado na Atenção Primária à Saúde. Revista JRG de Estudos Acadêmicos , Brasil, São Paulo, v. 7, n. 14, p. e14973, 2024. DOI: 10.55892/jrg.v7i14.973. Disponível em: http://www.revistajrg.com/index.php/jrg/article/view/973. Acesso em: 22 jun. 2024.

ARK